segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

CASOS CASAS & detalhes




Essa é a Rua Visconde do Rio Branco, que, certamente, muita gente vai conhecer como a Rua do Ginásio.

O que talvez a maioria das pessoas não saiba é que, no passado, a rua era imensa e chegava até a Praça da Estação.  Foi em 1938 que os governantes resolveram criar a Rua Governador Valadares e sabemos que, naquela época, era obrigatória uma Rua Presidente Vargas em todas as cidades do Brasil e uma Governador Valadares em todas as cidades mineiras.  Com isso, separaram o filho (Barão do Rio Branco, patrono da praça) do pai (Visconde do Rio Branco, o Conselheiro Paranhos, grande abolicionista).

Numa das casas retratadas na segunda foto, morou o lendário goleiro do Operário, Gute do Barrosão, patriarca da família Barroso, cujos filhos Marcus, Luis Augusto e o saudoso Júlio eram estrelas do Pingão F. C., o grande adversário do Pitomba, nas inesquecíveis partidas travadas, justamente, no Campo do Operário.

Como se vê, a rua poderia se chamar SAUDADE, pois todos concordariam ...

Fotos: Serjão Missiaggia
Texto: Jorge Marin


4 comentários:

  1. Caraca, dessa eu não sabia! Sou fã dessa página cada dia mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Diego, e nós também somos fãs de suas respostas (precisas, mais precisas do que as nossas) em CASAS CASOS & mistério.

      Excluir
  2. Renise LaCava Veiga Gomes4 de fevereiro de 2014 00:15

    E onde está parado o carro Branco foram feitas centenas de serenatas por Serjao, Dantinho e turma...que Renise tem gravadas em rolos antigos, trabalho do meu pai. ..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Renise, essa história está publicada em http://grupopitomba.blogspot.com.br/2009/12/causos-inacreditaveis.html . Se você ainda não leu, dê uma passadinha por lá. Quanto às gravações, gostaríamos de um dia (quando vc puder) poder acessá-las para digitalizar, pois o único registro que tínhamos das serenatas (uma fita cassete gravada pelo Jorge Marin) perdeu-se. Abração.

      Excluir

BRIGADU, GENTE!

BRIGADU, GENTE!
VOLTEM SEMPRE, ESTAMOS ESPERANDO... NO MURINHO DO ADIL