sexta-feira, 17 de maio de 2013

DE CARA COM A EXPOSIÇÃO: III - O Frio & O Calor


“São João, você está linda! É empolgante ver o entusiasmo de sua gente! Hoje é seu dia. 16 de maio. E aqui estamos, vibrando com você, comemorando os seus 92 aniversários. A banda musical ‘Santa Cecília’ e os alunos do colégio Augusto Glória iniciaram a intensa programação, despertando a cidade com sua bela alvorada. Após o hasteamento da Bandeira Nacional, houve missa celebrada pelo querido vigário Pe. Vicente Reis, em frente à Prefeitura Municipal. O desfile estava uma ‘parada’. Grupos Escolares, Ginásio Dr. Augusto Glória e Colégio São João Nepomuceno, como sempre, brilharam pelo garbo e a disciplina. E hoje, parece que maior foi o carinho com que se apresentaram. Um detalhe que emocionou a todos durante o desfile: a apresentação, pela primeira vez, dos alunos do Mobral.
Escolas de Samba Esplendor do Morro e Avenida, esta com participação de todos os clubes, desfilaram ontem à noite pela cidade em direção à Exposição. Grande Sucesso!”
(Voz de São João, Especial-Mini, distribuída no recinto da Expô no dia 16 de maio de 1972)

Duas coisas foram a MARCA REGISTRADA daquela 1ª Exposição:  FRIO & CALOR.  O primeiro do inverno que fazia: gente, algumas noites eram tão frias que, não raramente, subíamos envolvidos em cobertores. Apesar disso, um céu aberto e avermelhado, e envolto pela cerração, criava um cenário onírico e romântico.

Mas, e o CALOR?  Este vinha das pessoas, e irradiava de tal maneira, que a cidade parecia estar se preparando para sediar os jogos olímpicos.  Não havia um lugar, esquinas, colégios, clubes, fábricas, em que o assunto não fosse o mesmo: a chegada do grande momento.

Ante o olhar curioso das pessoas, barracas de sapé foram erguidas e, ainda que potencialmente inseguras, não deixavam de ser superchiques e aconchegantes. Mais a frente, a imensa galeria com seus estandes variados.

Com trajes típicos, recepcionistas recebiam os visitantes e arrancavam nossos suspiros: Rita Nogueira, Rita da Cássia Gouveia, Sônia Pinton, Ângela Maria, Ana Maria e Ilza Gruppi, entre outras.

Assistindo, pela primeira vez na vida, uma TV em cores, e saboreando um delicioso café Santa Cecília (de graça), recebo das mãos da Luciana Pulier mais um exemplar daquela Voz de São João – mini.  O texto é a cara do Sr. Carlos Rocha:

“Os stands ‘boxes’ da Exposição, em estilo tosco, estão instalados no antigo campo do Mangueira com cerca de quinze pavilhões, entre eles um especialmente adaptado para o serviço de bar e baile. A indústria e o comércio ocuparão 48 stands, sendo que muitos interessados, por falta de maior número de vagas, deixaram de se inscrever. Pássaros de várias procedências estarão com seus cantos e gorjeios dando um ambiente alegre ao recinto da Exposição”.

Semana que vem, o final desta nossa 1ª Expô.  Domingo que vem, tem nossa madrinha Nely Gonçalves soltando a voz.

Crônica original e foto: Serjão Missiaggia
Adaptações e releitura: Jorge Marin

6 comentários:

  1. Nilson Magno Baptista18 de maio de 2013 10:09

    Amigos pitombenses,sabem quem foi a primeira artista conhecida nacionalmente que se apresentou naquela exposição pioneira de 1972? Míriam Batucada.Eu estava lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nilson, quando a Miriam Batucada foi em São João, havia acabado de gravar um LP com o Raul Seixas e o Sérgio Sampaio, com o estranho título de Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta Sessão das 10, disco que eu nunca ouvi mas tenho a maior curiosidade a respeito.

      Excluir
  2. Scheila Carvalho também chegou a comentar que cantou algumas vezes quando ainda criança no palco da Expo de São João.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não cheguei a ver tal evento, mas sei que a Tia Nicinha (mãe da Scheila) foi presença certa na Expô vendendo seus famosos churros.

      Excluir
  3. Estou emocionada com o trabalho que vocês têm feito no Blog. Primeira linha. Textos excelentes e fotos maravilhosas.
    Meu abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Mika. Trabalhar traduzindo sonhos para quem deles participou acaba sendo uma tarefa fácil.

      Excluir

BRIGADU, GENTE!

BRIGADU, GENTE!
VOLTEM SEMPRE, ESTAMOS ESPERANDO... NO MURINHO DO ADIL