segunda-feira, 5 de novembro de 2012

CASOS CASAS & detalhes


São João Nepomuceno foi elevada à condição de comarca em 13 de novembro de 1891, instalada em 10 de março de 1892, portanto, há 120 anos.
A cerimônia foi realizada no Fórum, construído em 1888, no governo do Dr. Carlos Alves e, o que é impressionante, sem NENHUM ônus para o Estado, já que a obra foi paga com o produto de duas exposições e uma subscrição pública, ou seja, o nosso primeiro Fórum foi pago PELA POPULAÇÃO do município!
Em 1962, HÁ CINQUENTA ANOS, esse prédio foi doado pelo Prefeito em exercício, o Dr. Nagib Camilo Ayupe, para o funcionamento do Ginásio Dr. Augusto Glória, escola prioritariamente destinada a estudantes carentes e que, durante QUARENTA ANOS (de 1965 a 2005) formou muitas gerações de sanjoanenses, na maior parte do tempo dirigida pela competente professora Maria Alice Bastos de Araújo, um ícone da educação municipal, além de muitos professores inesquecíveis, como Luiz Carlos, Tia Mel e o sempre implicante Sargento Matilde que não dava sossego enquanto o Hino Nacional não fosse corretamente cantado.  
O fechamento do Augusto Glória, em 2005, foi uma perda irreparável para os sanjoanenses.

7 comentários:

  1. Estudei no " Augusto Glória", onde cursei o antigo Ginasial,no período entre 1967 e 1970.Lá convivi com excelentes professores,diretores,assim como ótimos colegas,que se tornaram grandes amigos.Gostaria,porém, de destacar um professor,com quem mantenho laços de amizade até os dias de hoje: Paulo Tavares Pável,hoje com mais de 80 anos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nilson, obrigado. Você, com sua memória privilegiada, sempre enriquece nossas publicações. O Paulo Pável, realmente, foi um dos professores mais queridos do Augusto Glória, além de artista plástico, compositor e cidadão de destaque de São João.

      Excluir
  2. Lecionei no "Augusto Glória" substituindo a Prof. Neide Campos na matéria de Geografia. Nessa época o Diretor era o Dr.Gomes de Freitas.Tinha D. Alcéia de Azevedo, Turma maravilhosa, eu jovem recém formada e eles professores de gabarito me receberam de braços abertos e de igual para igual
    O tempo passou, meu filho mais novo estudou lá, na Direção de Maria Alice. Quando fecharam suas portas minha filha também lá lecionava e grande foi a triteza de todos que por alí passaram.
    Edna Maria Missiaggia Picorone

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edna,
      quando um colégio se fecha, é como se alguém tirasse alguma coisa dos nossos filhos. Ainda mais um colégio como o Augusto Glória, que tinha uma proposta de atender pessoas carentes, diretriz esta que, se não estava sendo cumprida, era por falta de apoio de algum órgão que se preocupasse com o acesso à Educação na cidade.

      Excluir
  3. Lecionei no Ginásio Dr. Augusto Glória durante alguns anos. Foi uma época muito boa. Como gostava dos meus alunos! Eu digo que, muitas vezes, subi aquele morro sentindo alguma dor de cabeça e que, ao entrar na sala de aula, o alivio vinha de imediato. Era apaixonante lecionar para aquelas turmas. Saí do colégio porque me casei e fui morar em BH. Senti muita saudade.
    Aos meus alunos,o meu carinho.
    Mika

    ResponderExcluir
  4. Maria Alice Pereira Bastos27 de novembro de 2012 16:30

    Enorme foi a minha satisfação ao ler sobre o nosso querido Augusto Glória!Minha emoção é grande! Fazer parte da história dessa Casa de Ensino, muito me orgulha, pois, durante 35 anos, dediquei minha vida a ela. Como aprendi! Como fiz amigos! Quão importante foi para minha vida!E, o que mais me emociona, hoje, é ler, ver, ouvir e sentir o carinho dos ex-alunos e professores quando se referem ao tempo que lá estiveram. Tenho a certeza de que contribuímos, e muito, para a formação de inúmeros jovens.Hoje, como Secretária de Educação, voltei a frequentar aquela Escola que mantém, viva, a chama do querer saber, em seus alunos.
    Obrigada pelas palavras elogiosas a minha pessoa!Cumpri,o melhor possível, minha missão de educadora.
    A todos que lerem essa notícia, o meu abraço carinhoso, a minha saudade e a minha eterna amizade.

    ResponderExcluir
  5. Os elogios foram proporcionais à dedicação a todos os alunos, e também obrigatórios: passarinho que não reconhece quem o ensinou, jamais tem um voo tranquilo. Sucesso e paz!

    ResponderExcluir

BRIGADU, GENTE!

BRIGADU, GENTE!
VOLTEM SEMPRE, ESTAMOS ESPERANDO... NO MURINHO DO ADIL